(51) 2160.9170
  • Blog SOULinux

    Acompanhe Artigos, Notícias e nossos Casos de Sucesso.
Quinta, 08 Julho 2021

Proxmox VE 7.0 Lançado (Debian 11, Btrfs, QEMU 6, Ceph 16.2 e muito mais)

Escrito por Marcelo Costa

VIENNA, Áustria - 6 de julho de 2021 - O desenvolvedor de software empresarial Proxmox Server Solutions GmbH (ou "Proxmox") anunciou hoje a versão estável 7.0 de sua plataforma de gerenciamento de virtualização de servidor Proxmox Virtual Environment. Esta versão principal é baseada no Debian 11 “Bullseye”, mas usando um kernel Linux 5.11, e inclui QEMU 6.0, LXC 4.0 e OpenZFS 2.0.4.

O lançamento do Proxmox VE 7.0 desta vez vem antes do lançamento estável do Debian Bullseye. Embora quase todos os pacotes estivessem prontos, a equipe do projeto Debian adiou o lançamento, originalmente planejado para maio, devido a um problema não resolvido no seu respectivo instalador. Como mantemos nosso próprio instalador Proxmox e não somos afetados por este problema em particular, decidimos lançar apesar do atraso do Debian.

Os pacotes principais do Proxmox VE já estão sujeitos à política do Debian para pacotes essenciais (por exemplo, libc ou compilador) ou são mantidos por nossos desenvolvedores Proxmox (por exemplo, QEMU, Kernel, Ceph, LXC, compilador Rust) .

Thomas Lamprecht, desenvolvedor-chefe da Proxmox 

 

O que há de novo no Proxmox Virtual Environment 7.0

Esta versão principal traz um grande conjunto de novos aprimoramentos: 

Ceph Pacific 16.2: Proxmox Virtual Environment 7.0 integra-se totalmente Ceph, dando a você a capacidade de executar e gerenciar o armazenamento Ceph diretamente de qualquer um de seus nós de cluster. Isso permite que os usuários configurem e gerenciem uma infraestrutura hiperconvergente. O Ceph Pacific 16.2 agora é o padrão no Proxmox VE, enquanto o Ceph Octopus 15.2 permanece disponível com suporte contínuo.

A partir do Ceph Pacific 16.2, o módulo balanceador é habilitado por padrão para novos clusters. Isso levará a uma melhor distribuição de grupos de posicionamento entre os OSDs e ajudará a equilibrar os dados de maneira mais uniforme entre os OSDs, reduzindo as chances de um único OSD estar desproporcionalmente cheio, resultando em menos espaço disponível do que o esperado no cluster.

Monitores Ceph com várias redes públicas podem ser criados usando a CLI, caso os usuários tenham vários links configurados.

Tecnologia de armazenamento Btrfs: O sistema de arquivos copy-on-write (COW), com suporte nativo do kernel Linux, implementa recursos como snapshots, RAID integrado e autocorreção por meio de checksum (soma de verificação)  de dados e metadados. Ele permite tirar snapshots de subvolume e oferece suporte à migração de armazenamento offline enquanto mantém os snapshots. Para usuários de sistemas de armazenamento corporativo, o Btrfs fornece integridade do sistema de arquivos após perda de energia inesperada, ajuda a prevenir o bitrot (degradação de dados) e é projetado para storages de armazenamento de alta capacidade e desempenho.

Novo painel de gerenciamento de repositórios APT via GUI: Os desenvolvedores do Proxmox adicionaram um novo painel 'Repositórios' à interface web que permite inspecionar os repositórios APT configurados de um nó. O novo painel fornece um único local para ver toda a configuração do repositório de pacotes, que geralmente estão espalhados por vários arquivos, e avisa sobre possíveis configurações incorretas. Os usuários podem ativar e desativar os repositórios conforme necessário e adicionar os repositórios padrão fornecidos pelo Proxmox. Por exemplo, é possível testar uma nova versão do Ceph que ainda não está disponível no repositório principal. O repositório de teste Ceph, fornecido pelo Proxmox, pode simplesmente ser ativado (ou adicionado), a nova versão testada e, em seguida, desativado novamente quando não for mais necessário.

Controle de acesso: O novo padrão de protocolo aberto OpenID Connect oferece Single Sign-On (SSO), resultando em uma experiência de usuário perfeita. Os administradores podem integrar um servidor de autorização externo, usando serviços públicos existentes ou sua própria solução de gerenciamento de identidade e acesso. Além disso, uma permissão recém-adicionada 'Pool.Audit' permite que os usuários possam somente visualizar os pools, sem que os alterem.

 

Aprimoramentos na interface do usuário baseada na web (GUI):

Markdown em "Notas" - Os painéis "Notas" agora podem interpretar Markdown e renderizá-lo como HTML. Isso dá aos administradores uma melhor visualização de suas notas e documentação.

Remoção de backups acionados manualmente: os usuários podem remover o armazenamento de destino com seus parâmetros de retenção de backup ao iniciar um backup manual.

Suporte para chaves de segurança (como YubiKey) como chaves SSH, ao criar contêineres ou preparar imagens de inicialização de nuvem. 

QEMU 6.0: A versão mais recente do QEMU com novas funcionalidades está incluída no Proxmox VE 7. Isso inclui suporte para a interface Linux IO 'io_uring'. O mecanismo de E/S assíncrono para unidades virtuais será aplicado a todos os sistemas convidados recém-lançados ou migrados por padrão. Também está disponível uma opção de limpeza para discos VM não referenciados. Os discos que não estão presentes na configuração não são mais destruídos automaticamente. Agora é opt-in na API e com ferramentas CLI (na GUI está presente desde Proxmox VE 6.4). Se esta opção de limpeza estiver habilitada, apenas o armazenamento com tipos de conteúdo de imagens de disco VM ou CT ou rootdir será verificado em busca de volumes de disco não usados, ajudando a prevenir perda acidental de dados.

Container: LXC 4.0 possui suporte total para cgroups v2, um mecanismo de organização hierárquica de processos e alocação de recursos do sistema. Um layout cgroup v2 puro é o padrão para Promox VE 7.0.

Instalador Proxmox VE: O ambiente do instalador foi reformulado e agora usa switch_root em vez de chroot, ao fazer a transição do initrd para o instalador real. Isso melhora o carregamento do módulo e do firmware e reduz um pouco o uso de memória durante a instalação. O instalador agora detecta automaticamente as telas HiDPI e aumenta a fonte do console e a escala da GUI. Isso melhora a experiência do usuário para estações de trabalho com Proxmox VE. A detecção ISO também foi aprimorada para funcionar de forma mais confiável com armazenamentos mais lentos. O novo instalador usa compactação zstd para a imagem initrd e as imagens squashfs.

 

Outras melhorias notáveis

Gerenciamento de certificados: o plug-in autônomo ACME agora melhorou o suporte para ambientes de pilha dupla (IPv4 e IPv6) e não depende mais dos endereços configurados para determinar sua interface de escuta.

Rede: O moderno ifupdown2 é a ferramenta de gerenciamento de rede padrão para novas instalações usando o ISO oficial Proxmox VE. O ifupdown legado ainda é compatível com Proxmox VE 7.

Sincronização de tempo: as novas instalações instalarão o chrony como o daemon NTP padrão, porque as limitações de design do systemd-timesync o tornam problemático para o uso do servidor. Os usuários que atualizam de um sistema usando systemd-timesyncd devem instalar manualmente o chrony, ntp ou openntpd.

 

 

  

Disponibilidade

O Proxmox Virtual Environment é um software de virtualização bare-metal gratuito e de código aberto, publicado sob a GNU Affero General Public License, v3. A imagem ISO para download do Proxmox VE versão 7.0 está disponível em https://www.proxmox.com/downloads.

A plataforma de virtualização da Proxmox vem com todas as ferramentas essenciais de gerenciamento, bem como uma interface de usuário baseada na web fácil de usar. Isso permite o gerenciamento simples e pronto para uso do host, seja por meio da linha de comando ou de um navegador da Web padrão.

Atualização Proxmox 6.x para Proxmox 7.0 (pve6to7): Para o upgrade de versão, deve-se verificar sua instalação antes, durante e após o processo de atualização com a ferramenta de lista de verificação 'pve6to7'. Ele está incluído nos pacotes mais recentes do Proxmox VE 6.4 e fornece dicas e avisos sobre possíveis problemas a serem resolvidos antes da atualização. Veja  mais detalhes em: https://pve.proxmox.com/wiki/Upgrade_from_6.x_to_7.0

Atualização do cluster Ceph: Primeiro é necessário atualizar o Proxmox VE da versão 6.x para a 7.0. Depois, atualizando o Ceph de Octopus para o Pacífico. Para obter os guias de atualização detalhados, consulte https://pve.proxmox.com/wiki/Ceph_Octopus_to_Pacific


Para usuários corporativos, Proxmox Server Solutions GmbH oferece um modelo de suporte baseado em assinatura, que fornece acesso a um Repositório Corporativo, com atualizações regulares através da interface da web, bem como suporte técnico diretamente dos desenvolvedores.

 

 

 

 Referência: https://www.proxmox.com/en/news/press-releases/proxmox-virtual-environment-7-0 

Itens relacionados (por marcador)

Mais nesta categoria: « COVID-19 e Home Office
Proxmox VE
Proxmox VE
Plataforma completa para virtualização a nível empresarial.
www.proxmox.com
pfSense
pfSense
Sistema que possui recursos avançados para controle e segurança de redes.
www.pfsense.org
FreeNAS
FreeNAS
Sistema operacional para NAS (Network Attached Storage).
www.freenas.org
Zabbix
Zabbix
Ferramenta para monitoramento de redes, servidores e serviços.
www.zabbix.org
XenServer
XenServer
Plataforma de virtualização abrangente, com recursos de classe empresarial.
www.xenserver.org
GLPI
GLPI
Ferramenta completa para gestão de ativos e service desk.
www.glpi-project.org
redhat
redhat
Líder no fornecimento de soluções open source para TI corporativa
www.redhat.com.br
Suse
Suse
Sistema Operacional Linux e soluções de código aberto para serviços corporativos.
www.suse.com
Samba
Samba
Software que implementa solução semelhante ao Active Directory da Microsoft.
www.samba.org

Somos especialistas em Open Source

Conforme as empresas, de todos os portes, passam a seguir o filosofia do open source, começa a ficar claro que as vantagens de adotar esse conceito não se restringem somente aos preços.

Diferente do que pensa o senso comum, o open source é uma filosofia alternativa de negócios e não apenas a disponibilização de softwares gratuitos.


O software de código aberto, proporciona maior liberdade, flexibilidade, agilidade e segurança.